Estamos disponíveis para grupos até 5 pessoas numa data e tema à sua escolha. 

Escolha a visita: pode reservar clicando na visita pretendida ou preenchendo o formulário em baixo. 

Paisagens Literárias
Paisagens Literárias de Sintra
No século XIX, Sintra ganhou um protagonismo inusitado tanto ao nível nacional como internacional, inspirando artistas, poetas e escritores de várias proveniências que a vinham visitar. Conheça os seus encantos e mistérios únicos, ligados à literatura romântica e realista oitocentistas. Deixe-se embalar pela brisa neste mítico arvoredo da Serra, por entre fontes e cascatas…
Prémios Valmor
Prémios Valmor
O Prémio Valmor foi um dos mais prestigiados prémios de arquitetura, tendo distinguido edifícios e os seus proprietários e arquitetos, até aos dias de hoje, apesar de atualmente com um nome diferente. Instituído pelo Visconde de Valmor em 1898, para ajudar Lisboa a “adotar um estilo digno de uma cidade civilizada”, este passeio transporta-nos para a Lisboa de inícios do século XX, uma cidade que se começava a desenvolver fora do seu eixo central e com algumas preocupações estéticas.
Crónica D. João I
Crónica D. João I de Fernão Lopes
A galope, de colina a colina, acompanhamos a frieza da trama que irá culminar no golpe violento desferido pelo Mestre de Avis. O cronista descreve-nos os acontecimentos de forma dinâmica e acutilante: nobres, religiosos, burgueses e a arraia-miúda enfrentam o cerco castelhano, a peste, a fome e aclamam D. João, Regedor e Defensor do reino.
Sintra e o Romantismo
Sintra e o Romantismo
O movimento romântico oitocentista e a sua mentalidade própria criou raízes profundas numa Sintra realenga e estival, transformando-a no local exótico de vilegiatura e bom gosto que ainda hoje se nos apresenta. Poetas, escritores e artistas, viajantes e simples curiosos, todos a demandaram e jamais a esqueceram!
Padre António Vieira
Padre António Vieira
O imperador da língua Portuguesa – As suas palavras e sermões levam-nos a percorrer a cidade pré-terramoto, da Capela Real a São Roque, bastião jesuíta. Polémico, vanguardista, defensor de índios? Os seus sermões serão os nossos guias.
Lisboa entre refugiados e espiões
Lisboa entre refugiados e espiões
Durante a Segunda Guerra Mundial Lisboa tornou-se a “sala de espera” para milhares de pessoas que aguardavam passagem para um porto seguro. Através da literatura e dos relatos deixados por estes refugiados, seguimos os passos perdidos na cidade durante este período.
Memorial do Convento
Memorial do Convento
Seguimos os passos de Baltasar Sete-Sóis, desde que chega a Lisboa, até que morre em matéria, à nossa despedida. Pelo caminho saberemos mais sobre a família real, o Padre Voador, o Sr. Escarlate e a inseparável Blimunda Sete-Luas.
Os Maias em Lisboa
Os Maias em Lisboa
Carlos da Maia, João da Ega e Maria Eduarda, entre outras personagens d’ Os Maias de Eça de Queirós vão conduzir-nos com diletância e ironia aos palcos oitocentistas de convívio, de conspiração e de romance, bem como aos caminhos hesitantes da Lisboa ora vanguardista ora conservadora.
Fernando Pessoa
Fernando Pessoa
“Cheguei a Lisboa mas não a uma conclusão” (Bernardo Soares) Do Martinho a S. Carlos, vamos percorrendo alguns espaços da cidade-berço e palco da produção literária e personalidade caleidoscópica de Fernando Pessoa.
Eça de Queirós
Eça de Queirós
Foram curtos os anos de vivência na capital que se tornaria no cenário das principais ficções de Eça de Queirós. Iremos conhecer os locais onde viveu e conviveu num itinerário biográfico que Eça certamente recusaria e numa redescoberta dos seus romances e personagens desta Lisboa romântica e realista.
Ciência em Lisboa
Ciência em Lisboa
A prática da ciência, tecnologia e medicina durante os últimos três séculos alterou profundamente o modo como a cidade se desenvolveu. Este percurso permite-nos identificar o pano de fundo dessas alterações.
A cidade e a Doença
A Cidade e a Doença
A peste, a sífilis, a cólera, a tuberculose. As marcas da doença ao longo do tempo e no espaço urbano.
Crónicas de Fernão Lopes
Crónicas de Fernão Lopes
Partimos à descoberta da Lisboa da revolução de 1383-1385 a partir da geografia que Fernão Lopes gizou nas suas crónicas. A galope, de colina a colina, seremos guiados pela leitura das crónicas de Dom Fernando I e Dom João I.
Cesário Verde
Cesário Verde
As deambulações de um poeta incompreendido. Guiados pelas suas palavras, impressões e sentimentos seguimos os passos da sua curta vida e obra poética. A história da cidade durante o século XIX, com as suas profundas alterações no âmbito social e económico reflectem-se na poesia de Cesário.
Camões e os Lusíadas em Belém
Camões e os Lusíadas em Belém
Da ocidental praia lusitana partiu Camões para o mundo português a Oriente. Do sítio de Belém desaparecido pelas demolições de 1938 percorreremos o mito do império do Estado Novo. Mas também o autor d’Os Lusíadas foi mitificado e tornado herói colectivo por um desejo republicano de revivescência nacional.
O Caminho das Estátuas
O Caminho das Estátuas
O liberalismo foi o tempo de evocar e homenagear os homens-heróis da nação moderna, progressista e utópica. O século XIX lisboeta foi pródigo na estatuária, nas festas de inauguração e nos cortejos cívicos de celebração. Partindo da Rotunda que é do Marquês até à Praça que foi Terreiro e passando pelo Rossio que passou a ser de D. Pedro IV há 150 anos, a leitura será feita a partir de estátuas, bustos, placas e arte urbana contemporânea.
O Bairro da Graça
O Bairro da Graça
Venha conhecer as histórias e o património da Graça, recordar a vida literária das suas ilustres moradoras, encantar-se com as vistas dos miradouros, conhecer algumas vilas operárias e observar as interessantes obras de arte urbana.
O Ano da Morte Ricardo Reis
O ano da morte de Ricardo Reis
“Aqui o mar acaba e a terra principia”. Uma viagem literária, histórica e política no cinzentismo da ditadura do Estado Novo através do romance de José Saramago
Almeida Garrett em Lisboa
Almeida Garrett em Lisboa
Acompanhamos as deambulações de Almeida Garrett pela cidade: Na companhia de Alexandre Herculano passeia pelo Chiado e dita a moda no trajar masculino. O seu lado íntimo e amoroso, por vezes ligado a pequenas tragédias familiares, não ofuscaram o brilho e extravagância deste elegante do Chiado.
Quem foi Camões
Quem Foi Camões?
Despertar nas crianças o gosto pela leitura, mergulhando no tempo e na obra de um dos maiores poetas portugueses. Passeio para crianças entre os 6 e os 12 anos.
Os Maias em Sintra
Os Maias em Sintra
O percurso na vila de Sintra é baseado, essencialmente, no capítulo VIII da obra Os Maias de Eça de Queirós. Numa viagem pela Sintra romântica, não deixarão de ser referidos, ao longo do passeio, outros locais, curiosidades e histórias, que darão uma ideia mais alargada, informal da vila e do enquadramento do romance.
A reserva só é aceite até um máximo de 5 pessoas.
A confirmação da data e hora está sujeita à disponibilidade dos nossos guias.